terça-feira, 24 de julho de 2012

Efeitos da Palavra

“Conservem-se livres do amor ao dinheiro e contentem-se com o que vocês têm, porque Deus mesmo disse: Nunca o deixarei, nunca o abandonarei.” (Hebreus 13.5) 

Quem nunca sentiu os efeitos de um bom banho, água correndo na cabeça e corpo, após um dia estressante e cansativo? Sabemos que a água é um grande remédio para aliviar tensões. Também nos faz relaxar e acalmar.
Pensando nisso, Deus me fez lembrar, o quanto Sua voz e Palavra serviram de bálsamo para minha vida e calmante para meu coração, após um dia difícil e cheio de situações turbulentas. Meu espírito estava cansado e fatigado.
Foi então que Ele trouxe à minha mente e coração o texto de Hebreus 13.5 e pude sentir uma paz e tranquilidade como nunca antes. E a certeza de que Ele está comigo e nunca me abandonará fez-me descansar no seu amor.
Naquele momento, ao falar com Deus e dar ouvidos à Sua voz, percebi o quanto é maravilhoso desfrutar da comunhão com o Senhor e saber que Ele tem todas as coisas sob controle. Minhas preocupações não fazem sentido quando penso em cuidado Dele para comigo.
Somente no Senhor e na presença dele, tenho o contentamento e satisfação que não encontro em nenhum outro lugar do mundo. Escondida em Deus, de nada tenho falta. Ele é suficiente e supre todas as minhas necessidades.
Caminhar nessa verdade mudou minha perspectiva de vida e tornou os dias turbulentos em experiências que me aproximam cada vez mais de Deus!
Por isso, amigo leitor, meu desejo é que essa experiência também seja realidade na sua vida e que você consiga desfrutar do cuidado do Senhor em cada detalhe dos seus dias! Livre-se e desapegue-se de coisas que o afastam de Deus. Confie e viva os efeitos da Palavra em sua vida!

 ::Denise Tomaz de Souza

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Convencido, mas não transformado

        Jesus deve estar realmente voltando, porque o amor pela Cruz tem se esfriado. Não é isso que diz as escrituras: “Que nos últimos dias o amor se esfriaria?” Temos visto de tudo na igreja, menos o poder de Deus. Palavras que te fazem rir, louvores que te emocionam e apresentações que deixam seus olhos impressionados, mas e a doce presença do Espírito Santo?
       Uma música pode te emocionar, uma palavra eloquente pode te fazer pensar, mas só o Espírito Santo é capaz de fazê-lo nova criatura. Só a presença dele faz com que você se arrependa genuinamente dos pecados. Chegou o tempo dele ser o nosso culto principal, o que nos motiva a sair dos nossos lares e ir ao templo. Muitas vezes estamos tão impregnados de religiosidade que nem mesmo nos damos conta do motivo de estarmos na igreja. Algumas pessoas permanecem na casa de Deus por comodismo, outras por costume e há ainda as que frequentam a igreja como forma de lazer, mas Jesus precisa voltar a ser o motivo.
       E pelo fato de irmos à igreja por motivos frívolos acabamos retornando ao nosso lar da mesma forma. Sentimos anestesiados dos nossos dilemas por alguns instantes, mas o incômodo permanece lá dentro. Você se esforça para não discutir com seu parceiro, mas passa alguns dias e as brigas acabam retornando. Sabe por quê? Porque você foi convencido do pecado, mas não transformado.
       Só o poder do Espírito Santo dentro de você é capaz de torná-lo diferente do velho homem. Só Ele o faz santo e parecido com Jesus. Você precisa deixar que Ele seja o centro e a motivação da sua vida. Precisamos ir aos cultos ansiosos pela presença dele e então, Ele virá. Por que Deus não brinca de esconderijo. Ele apenas espera que busquemos com todo nosso coração. Então chegou o momento de pararmos com todo esse louvor vazio e entregarmos um coração quebrantado, porque é certo que    Ele não nos resistirá.
:: Érica Fernandes

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Aceite o Convite de Deus

Eu [o Senhor] instruir-te-ei e te ensinarei o caminho que deves seguir; e, sob as minhas vistas, te darei conselho. (Salmos 32.8)

O diabo quer nos conservar como cristãos sujeitos ao legalismo. Se ele não puder nos condenar pelo que fazemos, tentará nos atormentar pelo que não fazemos. Ele quer que nos sintamos culpados quando não lemos a Bíblia e oramos, sugerindo que Deus não se agradou de nós e que deve estar furioso conosco pelo que não fizemos.

Deus nunca nos condena por não sermos disciplinados, mas amorosamente nos convida a passar tempo na presença dEle. O céu está disponível a nós simplesmente por confiarmos em Jesus, mas a vida abençoada é desfrutada quando agimos da forma que Jesus age. Deveríamos querer ler a Palavra porque ela tem a chave para conhecermos a Deus intimamente e desfrutá-lo plenamente.

segunda-feira, 28 de maio de 2012


Santidade começa em casa

A santidade não é simplesmente uma ideia filosófica, é uma prática de vida. Ela é uma mudança tão radical na maneira de viver do homem que Cristo é magnificado. Significa viver de forma tão parecida com Cristo que as pessoas podem até ser confundidas com Ele. Se a santidade que você está vivendo não mudar as coisas mais práticas e simples do seu dia a dia, você estará enganando a si mesmo com superficialidades.
Uma das práticas da santidade é a submissão. Um cristão que vive santidade é aquele que aprende e pratica a submissão. Se realmente você entende santidade como uma vida fora dos padrões do mundo terá então que dar atenção a questão da submissão. Alguns rotulam santidade como somente se abster da prostituição e da idolatria e por isso, mesmo não se prostituindo nem praticando a idolatria, continuam sendo pedra de tropeço para a conversão de seus familiares e desagradando a Deus.
Mas o que é submissão? De acordo com o dicionário bíblico, submissão é um termo militar grego que significa “organizar [divisões de tropa] numa forma militar sob o comando de um líder”. Em uso não militar, era “uma atitude voluntária de ceder, cooperar, assumir responsabilidade, e levar um carga”. Em palavras simples, submissão é obediência. Todo aquele que nasce de novo deve aprender o “abecedário” do cristão que é a obediência.
Em primeiro lugar devemos obediência a Deus, nosso Pai e Senhor. Não existe vida cristã sem obediência a Deus, isso é tão óbvio quanto a cor do cavalo branco de Napoleão. Em Atos 5.29, Pedro declara: É mais importante obedecer a Deus do que aos homens. Mas você não pode se esquecer que a obediência a Deus está intimamente ligada a obediência aos seus pais e líderes. O apóstolo Pedro fala sobre essa relação entre a obediência a Deus e aos pais e líderes em sua primeira epístola, veja este versículo: “Sujeitai-vos a toda autoridade humana por amor do Senhor” (1 Pedro 2.13a)
Encorajo você a ler toda a epístola depois. Se a submissão aos líderes é uma ordem de Deus, eu só estarei obedecendo a Deus se eu estiver me submetendo aos meus líderes. Seus primeiros líderes são seus pais. Depois de Deus eles são seus principais líderes e a eles você deve obediência. A única exceção que existe para não obedecer aos seus pais e líderes é se eles o mandarem pecar, pois desse jeito você violará a obediência a Deus, fora isso, obedeça sempre.
Por que ser submisso? Essa é a vontade de Deus e ela é sempre boa, perfeita e agradável. Fazendo o bem, sendo obedientes as autoridades, você cala a boca das pessoas que depõem contra os cristãos. O nome de Deus muitas vezes é blasfemado por pessoas que se dizem cristãs, mas estão sempre envolvidas em rebelião e outras condutas contrárias a Palavra. Alguns ainda não experimentaram a conversão de seus familiares, pois, mesmo sendo assíduos à igreja, não são obedientes dentro de casa e dessa forma, fazem com que seus familiares blasfemem o nome de Deus.
A liberdade que temos é para o serviço de Deus e não para quebrar regras. Um dos exemplos que temos de liberdade mal entendida e mal expressada é o movimento hippie. Eles pregavam uma liberdade destrutiva, que era mais uma desculpa para a insubmissão do que a verdadeira liberdade.
Comece a mudança hoje mesmo em sua casa, com atitudes simples como praticar a honra. Honrar é reconhecer a dignidade e posição que seus pais têm sobre a sua vida. Valorize os seus pais, não somente com palavras, mas com atitudes. Pare de depreciar e menosprezar sua família para outras pessoas. Já ouvi muitos jovens falando mal de sua família e de seus pais, e isso é um comportamento que desagrada a Deus. Nenhuma família é perfeita, mas toda família tem valor.
Você verá a luz de Deus entrar na sua casa quando você começar a praticar a submissão. Ouvi nesses dias uma máxima da liderança que se encaixa perfeitamente no tema deste texto: “Se não acreditarem no mensageiro, como acreditarão na mensagem?” A atitude bíblica de submissão trará credibilidade para sua vida e sua mensagem. Enquanto na sua casa as pessoas não virem mudança nas suas atitudes, suas palavras serão vazias de credibilidade e unção.
Guarde em seu coração: A santidade verdadeira o levará a ser um exemplo até mesmo daqueles que já deu mau exemplo!

segunda-feira, 21 de maio de 2012


Quando Jacó pôs fim à sua opressão

Identifique o Labão que tem retido a prosperidade em sua vida e tome uma atitude que o libertará desse engano
”Vinte anos permaneci em tua casa; catorze anos te servi por tuas duas filhas e seis anos por teu rebanho; dez vezes me mudaste o salário.” (Gênesis 31.41)
Tem sido assim também em sua vida? Vinte anos para estabelecer algo? Em Gênesis 28.1-5. Jacó sai da presença de seu pai abençoado, e nos versículos 13 a 15 ele recebe a bênção do próprio Deus. No capítulo 31 de Gênesis, entretanto, Jacó está há vinte anos sem conseguir estabelecer nenhum tipo de conquista. Enganado por Labão, trabalha sete anos por Raquel, mas o sogro entrega-lhe Lia, o que faz com que Jacó trabalhe mais sete e depois mais seis anos, totalizando duas décadas. Como Jacó resolve a situação? Primeiro ele toma a posição de reclamar a bênção que havia recebido (Gênesis 30.29-30). Mas nada acontece até que Jacó faz uma oferta de sacrifício (Gn 31.54).
A oferta traz dentro de si um poder sobrenatural que anula toda escassez, miséria, pobreza, ruína, portas fechadas, limitações financeiras. Nós somos a geração que pula, que grita, que dança e até podemos entrar para a história como aqueles que participaram de um mover sobrenatural e promoveram a restauração da Palavra, do louvor, da adoração, e ainda assim, viver para o resto da vida sem de fato provar toda a prosperidade que Deus quer manifestar nas nossas vidas.Precisamos hoje começar a romper com esse espírito de opressão. Ninguém faz críticas a quem não está na prostituição, ou nas drogas, a quem gasta o dinheiro num monte de bobagens, mas quando se fala em entregar os dízimos e ofertas na igreja, todos criticam. Satanás sabe que a igreja de Jesus precisa de recursos para avançar na implantação do Reino de Deus. Lucas 8 mostra um grupo de mulheres que servia a Jesus com seus bens, suas fazendas e o melhor das suas rendas. Em nenhum momento vemos o Mestre dispensando tais colaborações.
A primeira vez que Deus pede uma oferta, seu povo ainda é escravo na terra do Egito. Havia um propósito – aquela oferta moveria a mão de Deus de forma sobrenatural em favor deles. Se podemos contar com essa bênção, por que a prosperidade não se manifesta? É necessário que você mude sua mente. Prosperidade é a manifestação visível do favor de Deus em direção à sua vida, assim como aconteceu com José em Gênesis 39.23 – tudo o que José fazia o Senhor abençoava. Em 3 João, o texto começa dizendo: ” … faço votos por tua prosperidade e saúde, assim como é próspera a tua alma.” Por que pessoas preparadas, que têm formação superior, não prosperam? Isso acontece porque são mesquinhas, brigam por pouca coisa, dão aos outros somente aquilo que não lhes serve mais. Assim como acontecia entre Labão e Jacó (Gênesis 30.27), há pessoas sendo abençoadas por sua causa, mas a bênção não se manifesta em sua própria vida. Todos os bens e fazendas de Labão prosperaram enquanto Jacó estavam ao seu lado. Ao ofertar o seu melhor, você estará trabalhando por sua casa e seu futuro. Jacó decidiu tomar uma posição, e você precisa também fazê-lo, pois nada o impedirá de desfrutar do favor, da provisão e da graça de Deus.
Se você tem o Espírito Santo, então por que lhe faltam os recursos? Deus quer inverter essa situação. Antes, muita gente prosperava na sua frente, mas chegou o tempo de você experimentar o sucesso primeiro; crescer em fé, alcançar degraus maiores, viver a provisão de Deus antes dos demais. Mas para que isso se torne uma realidade, é preciso tomar a posição de reclamar a bênção que está sobre sua vida. Enquanto Jacó está debaixo de opressão, nada acontece, mas depois que ele decidir agir – romper com a opressão – um anjo lhe aparece em sonho e manda que ele se levante e volte para a terra da sua parentela (31.11-13). Jacó vai embora no versículo 21 e Labão vai atrás dele. No capítulo 31.27-30, encontramos os motivos pelos quais Labão persegue Jacó. O inimigo vai tentar pressioná-lo com o intuito de mantê-lo debaixo da opressão, da escassez e limitações financeiras, e impedir a realização dos sonhos que o Senhor tem plantado na sua vida e no coração. Como o genro de Labão, definitivamente, tem vitória sobre esse grande engano? Em Gênesis 31.54, Jacó oferece uma oferta sacrificial. Depois dessa oferta, Labão vai embora (vs.55), Jacó se reconcilia com seu irmão, tem um encontro com o anjo de Deus, e tudo o que o Senhor havia lhe prometido (cap.28) começa e se manifestar (vs.34) e ele levanta um novo altar.
Depois desta exposição você já consegue perceber que o seu “Labão” está segurando as finanças da sua vida, levando-o a receber o salário na segundafeira e na terça não lembrar mais onde gastou o dinheiro? Já reparou que as pessoas que não servem a Jesus têm mais liberdade de dar o seu dinheiro do que aquelas que dizem servi-lo? Precisamos entender que não podemos estar na casa de Deus apenas para receber, mas que somos chamados a levar algo precioso e colocá-lo no altar do Senhor.
Hoje está começando um novo tempo em sua vida, assim como começou na vida de Jacó. Nunca mais você caminhará debaixo da opressão, mas sob a promessa que diz: “O Senhor abençoará tudo o que eu realizar; emprestarei a muitos, mas de ninguém tomarei emprestado.” (Deuteronômio 28.12).

quarta-feira, 25 de abril de 2012


Seja nobre

Sabe quando você conhece uma pessoa e pensa intimamente, “é tão bom estar com ela”! É aquele tipo de gente agradável para se estar. Caso chova a pessoa não reclama que o cabelo está alvoroçado, mas se diverte com os emaranhado dos fios. Com essa pessoa você ri até das desilusões. Ela é grata pela vida e não faz fofocas quando vocês veem uma mulher “desengonçada” na rua, porque não se alegra com a infelicidade do outro.
É bom ter pessoas assim por perto, porque você se lembra de Jesus. A Bíblia conta que João deitava nos ombros de Jesus enquanto falava (João 13.5). Imagino que João tinha tanto prazer na companhia do Senhor que se encostava carinhosamente para tê-lo mais perto. É fácil reclamar que o dia está quente demais. Todos fazem isso. Não há empecilho algum em ficar de cara fechada quando as coisas não vão bem, porque a maioria se comporta dessa maneira.
Mas o nobre não age assim. Não se comporta como sente ou da maneira mais fácil, mas age como um príncipe. Jesus era um desses tipos de pessoas nobres. Ele sabia todas as coisas, mas não esnobava ninguém, usava uma linguagem simples e ensinava por parábolas para que sua mensagem fosse compreensível.
Não reclamava do desconforto da multidão e nem do mau cheiro dos doentes, mas amava-os. A simplicidade de Jesus era tamanha, que os fariseus não conseguiam compreender como Rei dos reis pudesse ser carpinteiro, sem nenhum glamour ou reconhecimento. Como o todo poderoso poderia lavar os pés dos discípulos? É porque Jesus é nobre. Pode ser que você tenha sido um bom crente, mas você pode ir além, dá para ficar mais parecido com Jesus.

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Alegria agrada o coração de Deus

Aprenda a viver contente em qualquer situação e impeça a ação do inimigo
Murmuração é algo que entristece o coração de Deus. “Murmurar é afirmar que no lugar de Deus você faria diferente” e isso significa menosprezar a escolha do Senhor, é achar que você faria melhor que Ele. Neste raciocínio é impossível crer na mensagem escrita em Romanos 8.28: “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.”
Os planos do Senhor nunca falham. Tudo que Ele planeja para nossas vidas é realizado no momento certo, Ele deseja o melhor para cada um de nós. O único impedimento da realização da vontade de Deus parte da dureza do nosso coração, da falta de confiança nele e da ansiedade que descarrega a esperança. É necessário esperar nele, continuar firme nas orações e não deixar que a tristeza impeça que Jesus opere o milagre que você tem pedido.
Uma das áreas da vida que mais causam insônia, desespero e stress é justamente a financeira. Quando surgem gastos imprevistos e a situação foge do controle, a tendência é esquecermos que Jesus sempre tem a solução e não desampara nenhum de seus filhos. As dívidas aparecem trazendo motivos para cair em murmuração e o inimigo aproveita a brecha para “florear” os pensamentos com comparações indevidas. Quem nunca ouviu um sussurro no ouvido dizendo: “Está vendo fulano? Ele não teme a Deus, mas é bem-sucedido na vida profissional. E ciclano? Vive em pecado e possui muitas riquezas.” O sentimento de impotência toma conta da visão, traz cegueira espiritual e atrapalha o agir de Deus para lhe tirar dessa situação desagradável.
A Bíblia diz que “O coração alegre aformoseia o rosto, mas pela dor do coração o espírito se abate.” (Provérbios 15.13) Deus quer que nossos sentimentos sejam de alegria, independente do momento difícil. A visão deve ser pautada no entendimento d e que se Ele permitiu que você vivesse determinada situação é porque irá operar um grande milagre, seja na recuperação do controle financeiro, no aprendizado da vida espiritual ou no testemunho que seu irmão precisa ouvir de você. A atitude correta é deixar o Senhor agir conforme a vontade dele e se alegrar com o que Ele vai fazer. É abandonar o impulso da própria vontade e se constranger pela surpreendente obra, rica nos detalhes, que Ele vai operar. Só Jesus realiza a obra completa.
Dizimar e ofertar, mesmo em situações difíceis, são maneiras de fechar brechas e impedir a ação do inimigo. Com essas atitudes reconhecemos que o Senhor é o dono de tudo e abrimos espaço para que Ele nos abençoe cada vez mais.
Procure vivenciar e praticar os ensinamentos da Palavra de Deus, pois ela é luz para nossos caminhos, como é possível caminhar no escuro? Como enxergar os obstáculos e o que fazer para desviar deles, sem a iluminação? (Salmo 119.105